Re/vis-à-vis/ta.
A lida cotidiana do design gráfico.

Por óbvio, não deixaria escapar a oportunidade de pensar o projeto gráfico da minha própria dissertação. Foi uma forma de interpretar os princípios da ABNT, respeitando, acima de tudo, os cânones do design gráfico.

A pesquisa procura justamente as inter-relações entre design gráfico e cultura. Como um projeto de design gráfico é capaz de contribuir para o desenvolvimento das múltiplas inteligências humanas. Portanto, muito daquilo que defendo discursivamente procuro encontrar uma melhor tradução gráfica. Como objeto empírico, analiso a serrote, projeto que considero um dos mais relevantes, instigantes e instrutivos da atualidade. A serrote é uma revista de ensaios, artes visuais, ideias e literatura editada pelo IMS – Instituto Moreira Salles. O designer gráfico responsável é o Daniel Trench. Vale muito a pena conhecer os trabalhos de ambos e acompanhar as edições da publicação periódica.

É estranhíssimo exercer o papel de designer-autor. Isto é, ser o designer de um conteúdo próprio. Por outro lado, a liberdade é ilimitada, bastando o projeto ter coerência com os valores subjetivos. As restrições – além das regras da ABNT – residem nos custos de produção. Foram impressos apenas cinco volumes (três para os membros da banca, um para o orientador do projeto e um para mim). Daí que a falta de escala eleva o custo unitário e a necessidade de encontrar alternativas artesanais para o acabamento.

Tecnicamente, procurei trabalhar um grid assimétrico, branco generoso em todas as páginas, o papel com a gramatura um pouco mais elevada para enriquecer a experiência de leitura. A encadernação utiliza a costura japonesa com a linha na cor verde. A cor foi premeditada: como a discussão me é muito cara, gostaria que ela se desenvolvesse com força e resistência, tal qual aquelas plantinhas que furam o asfalto para florescerem.

Sempre soube que, no dia que finalizasse a dissertação, a montagem ficaria sob a responsabilidade da Cau, na Frente Verso. Fico satisfeito por ter conseguido e orgulhoso pelo talento, carinho e artesania dispensados, tanto pela Cau quanto pela Lais, no acabamento e, inclusive, pelas fotos aqui disponibilizadas.

A pesquisa foi orientada pelo eminente e querido professor Paulo B. Se desejar saber mais sobre o projeto de dissertação, em breve estará disponibilizado para leitura.

Se o assunto interessar, o arquivo está disponibilizado para download [pdf].